sexta-feira, 19 de julho de 2013

MÁSCARAS NÃO ME REPRESENTAM

MÁSCARAS E VIOLÊNCIA NÃO me REPRESENTAM
(na verdade não representam ninguém, já que são disfarces)
 

3 comentários:

  1. QUEM FAZ ALGO 'PARA MELHORAR O PAÍS' NÃO PRECISA ESCONDER O ROSTO E A IDENTIDADE, PRECISA?

    ResponderExcluir
  2. Se os manifestos estivessem contido dos limites jurídicos do que denominados Estado de Direito, é lógico que as máscaras não teriam espaço. Vide CF/88, art. 5º, IV.
    Mas não é o que acontece. Na verdade, a máscara é o que escancara o caráter golpista, de subversão, da pouca ou nenhuma preocupação com a constituição, para colocar um novo ordenamento legal no lugar.
    Resta saber qual...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Justamente. Quando se colocam como 'força subterrânea' que se situa fora e à esquerda do sistema, mas que procura acusar o próprio sistema de agir fora da lei, são incoerentes: aquilo de que acusam o sistema (desrespeito às leis) é seu modo de agir expresso somente em espaços restritos mas não declarado publicamente, com todas as letras. É o que eu digo sempre: se fazem algo intencionalmente, devem assumir de público e não se esconder atrás do discurso duplo - que é, a meu ver, sua máscara maior. Outra incoerência é quererem estar dentro da institucionalidade, como partidos políticos, mas onde há correntes extremistas.

      Excluir