segunda-feira, 27 de novembro de 2017

EM DEFESA DOS SERVIDORES PÚBLICOS CIVIS: NÃO SOMOS OS VILÕES!

É injusto jogar a conta e as supostas culpas da previdência sobre os servidores públicos civis. Quando os trabalhadores comuns descontavam 8% sobre um valor sujeito a teto, já contribuíamos com 11% sobre a totalidade de nossos proventos, descontados em folha. Não: a culpa não é nossa!

Já os servidores militares, que contribuem com apenas 7,5%, respondem, segundo notícias recentes, por quase metade do suposto déficit - o qual só existe, na prática, porque o governo desvincula valores recebidos a título de contribuição previdenciária para outras áreas. Mas, absurdamente, não os incluíram na tal reforma. Nem a eles e nem à classe política que pode se aposentar com apenas dois mandatos. E não foi feito qualquer esforço para impedir a sonegação astronômica, tendo o atual governo, ao contrário, perdoado bilhões em dívidas fiscais de empresários sonegadores que já são bilionários. E nenhum combate sério às quadrilhas internas do próprio INSS e Receita. 

Sabemos que a reforma da previdência anunciada prejudicará, na realidade, a totalidade da classe trabalhadora, excluídos os privilegiados de sempre, mas pesará mais - de maneira demagógica e injusta - sobre os servidores públicos civis. Chega do justo pagar pelo pecador e do remediado ser cobrado por erros de bilionários. Quem deu origem a algum déficit – se é que existe de fato – que arque com a solução. Cobrem primeiro de quem deve. Roubalheira não!

Obs.: Entre os grandes sonegadores estão bancos e financeiras, importantes empresas de comunicação como a Rede Globo, SBT, Record e Bandeirantes, e empresas agropecuárias como a JBS que subornou meio mundo e cujos donos estão livres.

Obs.2: o famoso 'bug do envelhecimento' é uma farsa, já que no Brasil quem se aposenta continua contribuindo. Quanto mais vivemos, mais contribuímos. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

MENSALÃO E LAVA JATO: ADIANTA ARGUMENTAR?

Contra a força bruta não há argumento possível ...